Feeds:
Posts
Comentários

Archive for maio \30\UTC 2010

Todos provavelmente sabem o que aconteceu ao Instituto Butantan, em São Paulo, no último dia 15.
Bom, para ajudar na reconstrução do Instituto, foi lançada a campanha Eu Amo o Butantan, que visa arrecadar parte dos materiais básicos.

Vou colar aqui a descrição da campanha, como está no site:

A CAMPANHA

Em apoio ao Instituto Butantan, criamos esta campanha que visa arrecadar parte dos materiais básicos necessários para a reconstrução de um dos mais relevantes patrimônios científicos do país e da humanidade. Sabemos muito bem que nada foi feito sem esforço de todos que contribuíram para a criação desta coleção.

Com o silêncio que todos nós presenciamos e a impotência diante do fogo, vamos transformar o luto em uma grande corrente de solidariedade em agradecimento a todos que ao longo de décadas passaram por ali e contribuíram determinantemente para que a coleção herpetológica se tornasse a referência maior que foi até a manhã de sábado dia 15 de maio de 2010.

Não por acaso levava o nome do Dr. Alphonse Richard Hoge, responsável por progredir significativamente em sua formação e organização a partir dos anos 40. Nos últimos tempos esta coleção esteve sob a diligente responsabilidade dos herpetólogos Vital Brazil Mineiro da Campanha, João Florêncio Gomes, Afrânio P. B. do Amaral, Alcides Prado, Alphonse Richard Hoge, Giuseppe Puorto e Francisco Luís Franco que, como outros tantos pesquisadores e estudantes que ali se formaram e atuaram, tanto no passado, como no presente, muito fizeram pelo engrandecimento deste patrimônio científico.

Esta será nossa contribuição mínima em agradecimento ao apoio e serviços prestados pelos fundadores, funcionários, estudantes e todos que já passaram pelo Instituto nas últimas décadas.
.
O PROJETO

Estamos disponibilizando um site, totalmente direcionado para a campanha, neste que oferecerá ao visitante a possibilidade de fazer uma doação de potes de vidro de 300 ml, potes de vidro de 03 litros, Litros de álcool 70% e litros de Formol. Inicialmente teremos um material de merchandising básico (camisas, adesivos e bonés), que assume uma importância determinante sobre a arrecadação dos produtos, onde nosso objetivo é maximizar o volume das doações e valorizar a imagem da instituição com a marca da campanha e desenvolver relações de parceria entre os envolvidos.

O site também disponibilizará informações pertinentes ao andamento do projeto de reconstrução da coleção, assim como oferecerá uma área com depoimentos, entrevistas, fotos, vídeos e todo material oferecido pela mídia.


TRANSPARÊNCIA

Todo projeto será monitorado pela empresa realizadora da campanha, com a obrigação primária da publicação dos nomes de todas as pessoas que efetuarem a doação e com qual o montante doado. Além de divulgar o nome do doador o mesmo receberá em sua caixa postal cadastrada um certificado de participação expedido pela organização da campanha assim como o comprovante de recebimento da doação.

Todo o processo será monitorado por um sistema de integração ao PAGSEGURO, serviço hoje mais bem conceituado na oferta de pagamento terceirizado via internet e o mesmo será repassado a empresa que fornecerá os produtos para a campanha. Toda empresa envolvida que colaborar com uma contribuição diferenciada e ajudar na divulgação será incluída na campanha como apoiador e terá sua logomarca registrada no site oficial do evento.

Ao final de cada meta pré-estipulada pela coordenação, haverá a entrega dos produtos diretamente ao Curador da Coleção, este que emitirá um documento chancelado pela instituição constando as quantidades recebidas em cada etapa da campanha assim como as notas ficais referentes ao produtos doados.

Gostaria de poder contar com a ajuda de todos e desde já deixar-me a disposição para eventuais esclarecimentos.

Atenciosamente,

Realização: Galápagos
Coordenação: Breno Damasceno
info@biogalapagos.com.br / (31) 9162.2020
www.biogalapagos.com.br

Apoio: Casa de Vital Brazil
Coordenação: Érico Vital Brazil
erico@vitalbrazil.net / (21) 7646.4200
www.museuvitalbrazil.org.br

Desenvolvimento: Agência TK
Coordenação: Antônio Fontes e Igor Nicolai
contato@agenciatk.com.br / (31) 9276.2283
www.agenciatk.com.br

Read Full Post »

Terminei de ler o livro Plano B – o design e as alternativas viáveis em um mundo complexo, de John Thackara.

O livro é excelente, principalmente quando aborda o tema relações, falando sobre duração, proximidade, crescimento.
Sempre que possível, e achar interessante, escreverei algo ou colocarei alguma citação do livro.
Pra começar, vou colocar uma parte do capítulo 13: desenvolvimento.

[…] As nossas conclusões provisórias, resultants de vários anos de discussão, são as seguintes Regras de Envolvimento para designers e pesquisadores de estilo de vida que trabalham fora de seu território:

Regra nº1
Na dúvida, o desenvolvimento começa em casa. Procure por perto, além de procurar longe. É mais fácil melhorar os recursos humanos, a cultura, a herança, as tradições, o know-how e as habilidades da cultura local do que de uma cultura distante.

Regra nº2
Trabalhe para pessoas reais, não para categorias. Fique alerta sempre que ler as palavras “os pobres” (ou “os idosos”, “os cegos”, “os deficientes”). Esses hábitos casuais e difundidos da linguagem excluem a alma e a humanidade das pessoas. Se você não acredita, pergunta a uma pessoa cega.

Regra nº3
Respeite o que já existe. A maioria dos designers é treinada para mudar as coisas primeiro e fazer perguntas depois. É muito melhor utilizar o olhar de um designer para revelar o valor oculto e mobilizar recursos locais ocultos.

Regra nº4
Capacite o pessoal local. Qualquer ação de design que reorganize locais e relacionamentos é um exercício de poder. Um bom teste para a sensibilidade de uma proposta de design é se perguntar se ela capacita as pessoas a aumentar o controle sobre o próprio território e recursos.

Regra nº5
Comprometa-se a longo prazo. Leva tempo entender uma situação, leva tempo escutar o pessoal local e conquistar sua confiança, leva tempo para que as soluções apropriadas venham à tona. […]

Regra nº6
Pense pequeno. Pequenas ações de design podem ter grandes consequencias, muitas das quais podem ser positivas.[…] Leia Small Change (Pequena Mudança), de Nabeel Hamdi, para exemplos inspiradores do poder de pensar pequeno.

Regra nº7
Pense em termos de sistemas integrados. O design de um dispositivo, como uma bomba d’água, ou um sistema de irrigação, não representa muito mais do que 10% da solução completa. Os outros 90% envolvem distribuição, treinamento, manutenção e acordos de serviço, parcerias e modelos de negócios.

Para quem pretende estudar/trabalhar com design social, sustentabilidade, , desenvolvimento local, comunidades criativas, gestão, recomendo demais o livro.

Read Full Post »

Produzidas com bambu certificado e podendo ser customizadas, essas são as capas protetoras de iPhone produzidas pela empresa Grove, que possui designers, produtores e programadores.

Você pode escolher as combinações de cores e a ilustração da parte de trás da capa, que pode ser escolhida entre uma lista de artistas, ou, se preferir, você pode mandar sua própria ilustração.

E a embalagem, feita com o resto do bambu da capa, ainda pode virar um quadro (pequeno, claro), com a imagem escolhida da capa.

fonte: coletivo verde
site oficial da grove: grovemade.com

Read Full Post »